Quem tem medo de Firmino Filho?

Quanto mais se aproxima a data de definição das chapas majoritárias ao governo do Estado nas próximas eleições, parece se instalar nas hostes governamentais e nos setores oficiais e oficiosos de comunicação, um certo desconforto com a possibilidade do atual prefeito de Teresina, Firmino Filho, ir para disputa com o governador Wellington Dias, que,  já em franca campanha, tentará um quarto mandato.

Às vezes ficamos a nós indagar, o porquê desse tipo de desconforto, pois, se existe alguém com credenciais para disputar uma eleição em condições de paridade com Wellington Dias, esse alguém atende pelo nome de Firmino Filho.

Firmino Filho, que até então se mostrava reticente em colocar seu nome como postulante ao cargo de mandatário maior do Estado, revelou há pouco dias, que o seu nome-dele Firmino-, poderia ser incluído no rol dos pretensos candidatos.

Prefeito da capital pela quarta vez, é impensável que Firmino Filho não cogite disputar as eleições de outubro próximo.

Herdeiro político de um modelo de administração implantada em Teresina pelo líder maior que a cidade  já conheceu o  professor Wal Ferraz, esse grupo político  que teve ainda nos administradores Francisco Gerardo e Sílvio Mendes , como continuadores de uma gestão administrativa vitoriosa, teve e tem em Firmino Filho um fiel seguidor, fazendo o que o senso comum costuma denominar  de administração feijão com arroz.

Sem pretenções de estar fazendo elogio descabido,  devemos reconhecer que, somente esse programa de moblização urbana , com a implantação dos terminais de integração prestes a serem  inaugurados, programa este, que finalmente dará dignidade a maioria da população teresinense, que utiliza o transporte coletivo, e se submete diariamente em vários pontos da cidade, a se esgueirar  atrás  de um poste de iluminação pública, procurando uma réstia de sombra para se proteger  do causticante e abrasador sol de Teresina, repito, somente esse programa, já seria o suficiente para justificar toda  uma administração.

 

É isso