Desmantelo, descaso e desmonte: Delegacia no interior do Maranhão funciona à luz de vela. Cadê a mudança?

Em Timon, a Central de Flagrantes corre risco de cair.

Delegacia à luz de vela. Romantismo, não, falta de pagamento mesmo.
Delegacia à luz de vela. Romantismo, não, falta de pagamento mesmo.
Escuridão, cartão de visita da delegacia do interior
Escuridão, cartão de visita da delegacia do interior

A Delegacia de Carutapera teve a energia cortada na tarde desta sexta-feira (01/09). O problema ocorreu por falta de pagamento. Pela quinta vez, só neste ano, a energia da delegacia teve que ser cortada por inadimplência. O desligamento da energia trouxe transtornos na delegacia. Por conta de sucessivas interrupções do fornecimento de energia elétrica, o registro de flagrantes de crimes já chegou a ser realizado no Fórum da cidade.

É a segunda notícia que se tem, em menos de um mês, relacionada a corte de energia em delegacias do estado. No dia 24 de agosto deste ano, a Cemar cortou o fornecimento de energia elétrica do imóvel onde funciona a Delegacia de Polícia Civil de Paraibano. O motivo foi o atraso de duas contas. Foram três dias na escuridão. O fato foi publicado pelo jornalista Daniel Matos. Relembre o caso aqui.

Em nota publicada no site do Sinpol-MA, sob o título “Apagão na Segurança”, a diretoria afirmou que é “crítica e caótica a situação nas delegacias do interior do estado”.

Para o presidente do Sinpol-MA, Elton Neves, outras unidades policiais podem enfrentar os mesmos problemas. “Quantas delegacias não estão nessa mesma situação, com contas pendentes, funcionando em prédios alugados e insalubres? O que está faltando é visão administrativa para os nossos governantes”, declarou.

Até o fechamento dessa matéria (13h40min), o fornecimento de energia na Delegacia de Carutapera ainda não tinha sido restabelecido.

A DELEGACIA DE CARUTAPERA

Em dezembro de 2010, o Governo do Maranhão entregou o Complexo de Polícias em Carutapera. A estrutura do prédio compreendia uma Delegacia de Polícia e o Quartel da Polícia Militar. A obra foi orçada em R$ 435 mil, resultado de um convênio firmado entre o Governo do Estado e a Prefeitura do município. A Delegacia de Polícia Civil contava com duas celas com banheiro, um alojamento, sala de plantão, sala de ocorrências, área para banho de sol, sala de arquivo e uma área livre. Hoje, o Complexo abriga um presídio.

Atualmente, os policiais civis trabalham em uma casa alugada, com uma infraestrutura inferior em comparação com o que um dia foi o Complexo de Polícias, inaugurado há sete anos. (Sinpol-MA).

Registro dos descasos

O blogdoribinha tem retrato algumas situações recorrentes no Maranhão, mas especificamente em Timon. Onde a população reclamação da falta de segurança e insegurança. Semana passada  divulgamos a situação da Central de Flagrantes do Município relatada através de relatório do Sinpol-Ma, que pediu a presença da OAB na luta por melhorias.

Esta semana, o vereador Henrique Junior denunciou que o prédio da Central de Flagrantes corre risco de cair em cima de quem estiver em suas dependências, servidores e presos.

Hoje o blogdoribinha registra novamente a situação deplorável do sistema em post feito pelo Sinpol e replicado aqui.

Quando fazia aqui as denuncias dessa situação, através de redes sociais e de forma anônima e covarde, recebi vários tipos de agressões verbais e intimidações, mas agora, com o respaldo dessas denúncias, os asseclas dos gestores se calam. Mas ao invés disso, eles deveriam estar atormentando os gestores para que tomem providência para de fato mudar essa realidade triste do Maranhão.