A explosão demográfica é tão perigosa quanto uma bomba atômica

Controlar a natalidade é urgente, para que o Planeta e o ser humano não sejam destruídos por uma catástrofe ambiental”. (Tomazia Arouche)  

Explosão demográfica é o aumento elevado e repentino da população de seres humanos. É frequentemente associada ao avanço da ciência e da tecnologia.

O aumento brusco da população leva também a um aumento das áreas ocupadas e tem alguns efeitos ambientais e econômico-sociais catastróficos; daí a comparação com uma explosão.

A introdução de novas tecnologias e o avanço da ciência que reduz a taxa de mortalidade, o aumento na produção de alimentos ou a cura de doenças importantes, são os principais responsáveis pelo crescimento populacional, na maioria das vezes, fora de controle como acontece nos países subdesenvolvidos e principalmente nos países do continente africano.

As famílias numerosas, assim como as superpopulações, exigem um esforço redobrado dos mantenedores das famílias e dos governos para atender as demandas sociais cada vez maiores por recursos que poderiam ser destinados a novos investimentos.

Com o aumento sem planejamento da população, as famílias e os estados empobrecem, porque aumentam as demandas por serviços públicos nas áreas de saúde, educação, creches e saneamento básico - o que obriga os governos e as famílias a fazerem sacrifícios para atender necessidades cada vez mais prementes da população.

A superpopulação também acarreta problemas ao meio ambiente, como o super aquecimento do planeta, que acontece devido a destruição das florestas e a queima de combustíveis fosseis (carvão mineral, gás natural e petróleo) para alimentar usinas termoelétricas, indústrias e veículos.

O lixo doméstico, o lixo industrial, o lixo hospitalar e o lixo eletrônico também acarretam sérios problemas ao Planeta em consequência de um crescimento populacional sem controle ou planejamento.

Toda vez que a população cresce, cresce também a necessidade de mais empregos e a produção de mais alimentos. E tudo isso tem implicações no meio ambiente. Toda vez que aumenta a produção de alimentos, paralelamente aumenta a destruição da cobertura verde e o assoreamento dos rios, lagos, lagoas e mares.