Um governo feito pelas elites e para as elites


"A maior preocupação do governo Temer é com o Deus Mercado e com os investidores estrangeiros". (Tomazia Arouche

O governo de Michel Temer, tem nas elites brasileiras a sua principal base de sustentação. Não é à atoa que esse governo vive sempre apelando para a nossa classe empresarial e negociando na base do toma lá dá cá com o Congresso Nacional, apoio para que reformas sabidamente contrárias aos interesses dos trabalhadores, assim como, a reforma trabalhista (já aprovada) e a reforma da previdência que deveria ser votada no próximo dia 19, mas que foi adiada por encontrar forte resistência de parte da maioria dos deputados federais, que pressionados pela sociedade organizada e principalmente de parte da classe laboral, não querem condenar os trabalhadores brasileiros a mais um sacrifício. 

 

A Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), o braço social da Igreja , que acabou de se reunir em Brasília, decidiu apoiar a luta do povo brasileiro contra a reforma previdenciária e se manifestou publicamente através do seu presidente, o cardeal Sérgio Rocha, que disse o seguinte: “Essa reforma tem implicações grandes na vida do nosso povo e a Igreja deseja sempre defender os direitos da população, especialmente dos que estão mais fragilizados” e foi além: “O que a Igreja tem feito: o anuncio profético de sempre recordar as exigências da justiça social, da caridade e da paz. Que nas iniciativas que são tomadas tenhamos sempre assegurado o direito dos mais pobres dos mais vulneráveis, porque se a Igreja não ajudar, não estiver junto desses irmãos e irmãs, estaremos deixando de cumprir a nossa missão e, ao mesmo tempo, não estaremos contribuindo para a construção da justiça e da paz”.

A Igreja Católica que sempre esteve ao lado dos oprimidos, num momento como este de extrema gravidade e de tensão social, não poderia furtar-se a esse grito de alerta dos trabalhadores, dos aposentados e dos menos favorecidos. A Igreja Católica, através da CNBB sempre se posiciona ao lado dos excluídos e dos menos favorecidos. Ainda bem que o povo brasileiro conta com esse importante e fundamental apoio. O que seria do povo brasileiro sem o apoio dessa igreja? É bom nem pensar!