As mulheres devem ser respeitadas e valorizadas

por Tomazia Arouche

Na nossa cultura, em que pese os avanços na questão dos direitos civis, as mulheres ainda são tratadas pelos homens como seres subalternos e como pessoas que dependem fundamentalmente do homem para existir. As mudanças favoráveis ao sexo feminino, que já ocorreram até aqui, deveram-se principalmente ao movimento feminista, que desde que surgiu vem trabalhando pela libertação e emancipação das mulheres.

Por mais paradoxal que seja, as mulheres conquistarem sua emancipação política dependem também da evolução do homem, ou seja, de uma nova consciência masculina em relação as mulheres no ambiente doméstico, social e corporativo.

Uma relação que nivela esses dois sexos em termos de direitos civis e humanos. Trata-se da necessidade de uma compreensão de que numa relação entre mulheres e homens, não cabe a noção de superioridade, nem de um lado, nem do outro, mas uma dinâmica de parceria, nunca de chefe de família ou coisa do gênero.

Alguém poderia levantar sua voz e dizer que existem grandes diferenças entre homens e mulheres. Com o que devemos concordar, porque existem diferenças fundamentais entre as mulheres e os homens do ponto de vista biológico e físico. Mas essas diferenças terminam ai, porque se os homens são superiores em termos de resistência física, as mulheres superam essa diferença através das suas habilidades emocionais. Do ponto de vista intelectual, não existe nenhuma diferença entre homens e mulheres.

O que se pretende com esta discussão é tentar acabar com a relação vertical que existe entre gêneros. Isso no ambiente doméstico e até no ambiente laboral. Com o homem sempre cantando de galo, como se diz na gíria, impondo suas vontades, desejos e até preferencias.

É preciso romper com esse cenário e trata- se de um momento de esclarecimento propício para isso. Uma relação entre pessoas que se respeitam e que desenvolvem uma relação de parceria e companheirismo tem que ser horizontal.

A relação entre os homens e as mulheres para ser respeitosa, tem que ser simétrica, ou seja, sem que exista diferenças do ponto de vista de diretos humanos e civis.

Hoje, já é possível percebermos uma mudança substancial no relacionamento ente mulheres e homens do ponto de vista da empregabilidade, uma vez que as mulheres andam conquistado o maior número de vagas nas universidades, percebe-se também que as mulheres no ambiente corporativo já começam a ocupar cada vez mais os espaços, uma vez que seu nível de escolaridade vem crescendo exponencialmente enquanto que os homens avançam menos porque permanecem na sua área de conforto.