O Gargalo

No início de março do corrente ano, aqui no Portal AZ, o advogado Miguel Dias Pinheiro alertou o governo do Piauí para as consequências nocivas que uma Central de Flagrantes trás para Teresina. Disse ele:

"No combate à criminalidade e à violência, há um gargalo a ser extirpado na Segurança Pública de Teresina. Para uma capital com inúmeros bairros e uma área territorial extensa, uma Central de Flagrantes é um atraso no combate ao crime e o enfrentamento à violência na capital do Piauí. Há uma reclamação reinante de policiais militares, aqueles que estão em campo correndo atrás de bandido em Teresina, de que apenas uma Central de Flagrantes representa um gargalo para a Segurança Pública, com viaturas policiais paradas na porta da única unidade de polícia administrativa e emperrando o trabalho ostensivo de combate ao crime. A Central de Flagrantes implantada no centro de Teresina – inclusive de difícil acesso -, apesar de uma ideia louvável para o início de uma época, pela extensão territorial da capital piauiense, não se justifica mais e não atende o exigente clamor social. Outras centrais devem ser implantadas em pontos estratégicos de Teresina, urgentemente! Não é possível continuar assim! É inconcebível aceitar-se esse atraso! Exige-se uma reformulação rápida e eficiente na nossa Segurança. O Governo de Alagoas inaugurou a 3ª Central de Flagrantes na sua capital, Maceió. A capital alagoana tem uma população idêntica à de Teresina. Em torno de pouco mais de 900 mil habitantes. Contudo, tem uma área territorial muito menor do que a nossa capital. Enquanto Maceió possui 509,552 km² de extensão, Teresina tem mais do dobro, com uma área territorial de 1.391,981 km². Portanto, estamos atrasados em termos de eficiência em Segurança Pública. Vejam o absurdo que ocorre na cidade de Teresina: se na região do “Grande Dirceu” – praticamente uma outra cidade - alguém for preso em flagrante terá que ser lavrado o Auto de Prisão no centro de Teresina. Da mesma forma ocorre com a Santa Maria da Codipi, em distâncias quilométricas da única Central de Flagrantes para uma população de mais de aproximadamente 900 mil habitantes. Teresina necessita de pelo menos mais três. Centrais de flagrantes. Uma na região do “Grande Dirceu”, outra na “Grande Santa Maria da Codipi” e mais uma na zona leste da capital, na região da Ininga. Somente por este fato mostra-se que há um descaso e um despreparo dos nossos governantes, que insistem em não tratar a nossa Segurança Pública como prioridade inadiável. Muito, mas muito lamentável!".