Candidato defende projetos voltados para o empreendedorismo social em Teresina

Marcos Lira ainda apontou alguns dos seus vinte projetos

O candidato Marcos Lira está na disputa por uma vaga na Câmara Municipal de Teresina pelo Democratas. Ele ressaltou, em entrevista ao Portal AZ, que trabalhar com a comunidade será a sua principal bandeira caso seja eleito.

Marcos Lira
Marcos Lira

“Foram as minhas vivências e a completa indignação com apatia geral da população que fizeram com que eu me filiasse a um partido político e disputasse o pleito. As pessoas não tem relação com partidos, nem com representantes, a maioria das comunidades não se sentem representadas. E eu senti que tinha estratégias de fazer política com uma série de ferramentas de trabalho de campo para manter uma relação com pessoas, para que incentivemos as comunidades a se organizarem, de modo que apresentem seus problemas dialogando diretamente com os órgãos públicos”, disse o candidato.

Marcos Lira ainda apontou alguns dos seus vinte projetos, como por exemplo, “Os estudantes aprendendo com #comUnidade”, “Shopping da Cidade, The Amo”, “Se essa escola fosse minha”, “Pedale pro Trabalho”, “Guarda Municipal de Teresina 2.0”, “Projeto Vereador por 1 dia”, dentre outros.

“A escola é o nascedouro das nossas comunidades e não as valorizamos. Vamos estimular os jovens, pois eles precisam assumir a responsabilidade que eles têm com a cidade deles, através de trabalhos desenvolvidos dentro das escolas. E eu como vereador, darei condições institucionais para esses projetos, de maneira que se leve educação política para essas unidades, trabalhos voluntários e que haja representatividade. Precisamos de uma nova geração de líderes que tenham objetivos voltados para o empreendedorismo social”, disse.

Sobre a sua campanha, o candidato Marcos Lira destacou ter recebido uma resposta muito boa por parte da população. “Tenho recebido mensagens de pessoas maravilhosas. Eu sempre fui apaixonado por política e compreendo que a responsabilidade com as nossas comunidades é de todos nós. Eu sempre achei que o cidadão que nunca teve contato com a política, deveria vê-la como uma forma dele defender a sua comunidade”, finalizou.