Michel Temer responde às criticas de Renan Calheiros

A avaliação de senadores peemedebistas do grupo de Renan é de que esse movimento da Câmara só ajuda a enfraquecer os caciques do partido.

 

Durante a semana o senador Renan Calheiros fez uma ironia ao dizer que o ministro da Casa Civil, Eliseu Padilha, que está de atestado, tem de voltar ao cargo para que Eduardo Cunha não transforme o subchefe de Assuntos Jurídicos do ministério, Gustavo Rocha, no novo ministro. Rocha já foi advogado de Cunha.

Segundo colunista do G1, Renan Calheiros saiu atirando depois de uma conversa com o ministro Moreira Franco. E disse que o governo era alvo de disputa entre o PSDB e o grupo do deputado cassado Eduardo Cunha.

As atitudes de Renan, preocupou o Palácio do Planalto. Pois, não foi primeira manifestação de contrariedade do ex-presidente do senado com o governo. Na semana passada, o senador divulgou um vídeo nas redes sociais criticando duramente a reforma da previdência.


Durante participação em programa de rádio da CBN na tarde desta sexta-feira, 10, o presidente, Michel Temer, falou sobre as acusações de Renan Calheiros.

Temer, disse que o senador Renan sabe como é importante e necessária a Reforma da Previdência e que manterá o dialogo com o senador. Sobre Eduardo Cunha, Temer negou qualquer tipo de influencia do ex-presidente da Câmara, cassado e preso em seu governo.

Segundo fontes, aliados Renan, alencam dois fatores que pesam no comportamento explosivo do senador alagoano: a chamada "tensão pré-lista do Janot" e o movimento de deputados do PMDB que cobram um afastamento de envolvidos na Lava Jato do comando do partido.

A avaliação de senadores peemedebistas do grupo de Renan é de que esse movimento da Câmara só ajuda a enfraquecer os caciques do partido.