Henrique Meireles presta depoimento ao juiz Sérgio Moro e inocenta Lula

“A minha relação com o presidente Lula era totalmente focada em assuntos relativos ao Banco Central e à política econômica e nesta interação, eu nunca vi ou presenciei nada que pudesse ser identificado como algo ilícito ou ilegal”, disse.

 

O ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, afirmou nesta sexta-feira, 10, que a política macroeconômica adotada durante o governo Luiz Inácio Lula da Silva gerou resultado positivo para o país. Ele fez a avaliação em depoimento nesta manhã como testemunha de defesa do ex-presidente Lula, na ação penal em que o petista é réu por corrupção e lavagem de dinheiro.


“Sim [a politica gerou resultado positivo]. O grande fator daquele período foi, em primeiro lugar, a estabilização da inflação, da economia brasileira, em consequência queda dos custos financeiros de financiamento do Tesouro e das empresas e etc. Isso que gerou aumento do crédito e do crescimento. Paralelamente, o governo implantou politicas de cunho social visando complementar renda ou suprir renda para a camada de menor capacidade de rendimento da população e acredito que esse processo foi complementar, sim, da recuperação economica do Brasil.' disse Meireles

 

Meirelles ainda afirmou que sua relação com Lula era totalmente focada “em assuntos relativos ao Banco Central e à política econômica” e que, nesta interação, ele nunca viu ou presenciou nada que “pudesse ser identificado como algo ilícito ou ilegal."A minha relação com o presidente Lula era totalmente focada em assuntos relativos ao Banco Central e à politica econômica e nesta interação, eu nunca vi ou presenciei nada que pudesse ser indentificado como algo ilícito ou ilegal".

 

“A minha relação com o presidente Lula era totalmente focada em assuntos relativos ao Banco Central e à política econômica e nesta interação, eu nunca vi ou presenciei nada que pudesse ser identificado como algo ilícito ou ilegal”, disse.


Meirelles disse ainda que não teve acesso a qualquer tipo de informação sobre a suposta presença de uma estrutura criminosa de poder durante o governo Lula. “Eu não tive acesso a nenhum tipo de informação sobre isso inclusive porque não era o papel do Banco Central”, disse Meirelles.