Penso, logo desisto?





"Suspenderam os jardins da Babilônia

E eu pra não ficar por baixo
Resolvi botar as asas pra fora, porque
Quem não chora dali, não mama daqui, diz o ditado
Quem pode, pode, deixa os acomodados que se incomodem

Minha saúde não é de ferro mão
Mas meus nervos são de aço
Pra pedir silêncio eu berro, pra fazer barulho eu mesma faço, ou não

Mas pegar fogo nunca foi atração de circo
Mas de qualquer maneira
Pode ser um caloroso espetáculo, então
O palhaço ri dali, o povo chora daqui, e o show não pára
E apesar dos pesares do mundo
Vou segurando essa barra..."

Minha coluna de hoje foi escrita por Agnes Moitta, uma adolescente, artisticamente interessante e que abro espaço para ela dizer "na cura dura" o que pensa da vida! Obrigada querida!

Por Agnes Moita:

“A cada lagrima que cai é uma gotinha de felicidade no ralo da vida,

 E cada lágrima que fica é uma angústia tão ruim, tão indecente, tão retida,

A paz,

Na alma de um adolescente é tão  surreal , talvez inexistente”.

A capital do suicídio tem  sede de viver fora da realidade. Teresina é conhecida como a capital do suicídio no Brasil. Em geral há pelo menos 2 suicídios por ano, o que é curioso porque ,o nosso acolhedor povo Mafrense é assim : de fé ,simplicidade e tradição.

Que coisa linda não?

Não! (berro).

Aliás , “com quantos quilos de medo se faz uma tradição?”.

Os adolescentes, principalmente da classe “alta e média alta teresinense,” vivem para atender a maior expectativa dos pais : manter as aparências.

”Ah meu filho , estuda no (vocês sabem) só tira 10”....

”Ô fulaninho filho de beltrana entrou pra medicina” ,

“Mentira , a fulana tá namorando o filho de seu fulano ?”

“Foi sim, ele suicidou-se!”(ops!).

Aí começam as especulações mais absurdas e insanas em torna da vida das pessoas, como se vestem, o quem comem, quem come, legitimando “ordinariamente”, uma posse ou propriedade da vida do particular. Mas tenhamos fé, pois a evolução começa com o diferente, com o entendimento do outro da forma como ele é!

Lembrando que “sametime ou all the time” os  teresinense são muito bad!Pois julgam as pessoas deliberadamente, com pudor ou com todo pudor do mundo. Oh my god.

Freud já dizia : "a vida dos outros traz uma fascinante curiosidade doentia" , já um filosofo porra-louca disse: “com uma sociedade tão voltada para o pensamento vazio, o suicídio, chega ser o melhor remédio”....

Mas lembro as pessoas se matam em Teresina por não aguentarem mais esconder o que são.

Talvez?!

Lembro, ainda que muitos lugares todo mundo também vive de aparências e não se matam tanto, como Terehell.

 Mas por quê Teresina tem isso?

Na verdade, ninguém quer dar a cara pra bater.

E o suicídio é um tabu, e posso até sofrer uma reprimenda por falar sobre o tema, mas aviso, não me suicidarei por isso.

Eu quero o debate, da sociedade civil organizada e das não organizadas, juntas, a fim de salvar as vitimas de suicídio de “si mesmas” ou dessa sociedade tirana de regras e modismo detestável.

Quero gritar: “Derrama os leites na minha cara e o leite ruim na cara dos caretas.”

Fuck off ( o texto é meu)!

Neste deserto do Saara, infelizmente,  o  emprego, a  imagem social, até a comida no “pratito”, depende de um chefe fariseu conservador,ou dos  coleguinhas puritanos com seus  pais : doentes como você....Eu?! Nós!

Losing my religion!...R.E.M

Por fim, tá na hora de acordar do delírio, e  parar de encher seu filho de RI-TA-LI-NA sem necessidade pra ele tirar nota boa,seria ótimo assumir a vida como ela é. Papito..

Lembrando : não há uma pessoa doente e sim há um grupo doente. Aliás , quantos de vocês com todo esse dinheiro conhecem uma coisa chamada “ho'oponopono”?

(vou deixar no ar pra pesquisarem).

A cura vem dentro de nós sempre!