Brasil pode ficar no grupo da morte ou em outro bem fácil

Somente após o sorteio dos grupos em 1º de dezembro, em Moscou, é que haverá uma resposta. Este evento está cercado de muita expectativa.

Estão definidas as 32 seleções participantes da Copa do Mundo de 2018, na Rússia. Com a classificação do Peru, que venceu a Nova Zelândia na repescagem e ficou com a última vaga, ficaram decididos também os quatro potes que nortearão o sorteio da fase de grupos, no próximo mês de dezembro.

Os potes foram definidos com base no ranking de seleções da Fifa de outubro. O Brasil, atual vice-líder da lista, será um dos oito cabeças de chave do torneio, ao lado do país-sede, a Rússia, e também Alemanha, Portugal, Argentina, Bélgica, Polônia e França.

Foto: Reprodução
Foto: Reprodução

Último classificado, o Peru entrou no pote 2, que também terá Espanha, Suíça, Inglaterra, Colômbia, México, Uruguai e Croácia. Desse grupo, sairá o México ou uma seleção europeia para a chave do Brasil no Mundial, já que o sorteio terá um bloqueio para seleções da mesma confederação.

Em relação aos times da Uefa, com 14 representantes na Copa, o limite estabelecido pela Fifa é de até duas seleções europeias por grupo – é possível, portanto, que Espanha ou Inglaterra caiam na chave que terá a Alemanha como cabeça, por exemplo.

Em uma simples simulação, é possível imaginar um grupo difícil para o Brasil ao lado, por exemplo, de Espanha, Suécia e Nigéria; ou mais fácil, com Suíça, Tunísia e Panamá.

 

Mais lidas nesse momento