Projeto Viva o Semiárido realiza capacitação de professores nas escolas rurais

A formação é realizada em cinco territórios com o apoio da Seduc e encerra dia 29

A primeira fase da Formação de Professores em Educação no Campo e Educação Contextualizada, que começou em maio deste ano, se encerra no próximo dia 29. A iniciativa tem como foco a convivência com o Semiárido e é realizada pela Secretaria de Desenvolvimento Rural (SDR), com apoio da Secretaria de Estado da Educação (Seduc) e das prefeituras dos municípios participantes. As capacitações mais recentes foram realizadas com educadores de Picos, Itainópolis, Campo Grande do Piauí, Francisco Santos, Marcolândia, Dom Expedito Lopes, Simões e Fronteiras.

O objetivo desta ação é cumprir as metas traçadas pelo Projeto Viva o Semiárido (PVSA), no que se refere à Educação Contextualizada para a Convivência com o Semiárido, com enfoque no desenvolvimento produtivo; desenvolvimento social e humano e ao fortalecimento institucional.

Segundo o diretor do projeto Viva o Seminário, Francisco da Chagas Ribeiro, a linha de capacitação de professores das escolas rurais, fortalece o trabalho do projeto Viva o Semiárido. “As atividades produtivas são desenvolvidas com as famílias rurais. Os filhos estão recebendo as informações da educação contextualizada para o Semiárido. Os professores também estão recebendo essa informações e treinamentos e colocando em prática, nas salas de aula, os aspectos referentes à região semiárida, como por exemplo a falta de chuvas, plantas resistentes à seca, e ensinando como fortalecer as ações e as atividades e ainda que tipo de plantas e animais se adaptam melhor a essas condições”, explicou. Ribeiro acrescenta que a ideia é juntar todas essas ações. Dessa forma, enquanto na escola o professor orienta sobre a educação contextualizada, a família estará executando projetos.

Com o apoio da Seduc, que é co-executora da iniciativa, foram contratados pela SDR, um conjunto de consultores que está preparando os professores rurais nos cinco territórios onde existe atuação do viva o semiárido (Vale do Guaribas, Vale do Itaim, Vale do Canindé, Serra da Capivara e Vale do Sambito).

Foto: Ascom SDR
Foto: Ascom SDR

Execução
Nas escolas, serão montadas ainda sistemas agroflorestais apropriados para a região do Semiárido, com hortas e criação de pequenos animais, sob a orientação dos professores que participaram da formação, cuja a produção também poderá ser aproveitada para reforçar a alimentação dos alunos e educadores.

Uma equipe de campo realiza as capacitações utilizando material didático específico e cada Unidade Regional do Projeto Viva o Semiárido (URGP) distribuída nos territórios e há pelo menos um profissional da educação motivando os professores, coordenando e supervisionando esse trabalho. A Secretaria de Educação preparou com a Fundação Cepro um estudo de referência que demonstra o perfil dos alunos, das escolas e professores que já participaram ou se envolveram com estas atividades.

O PVSA têm como objetivo formar 1.500 professores em cem escolas públicas, onde serão instaladas unidades demonstrativas. Há a expectativa de que, ainda em 2017, tenha início a implantação dos sistemas agroflorestais a serem intensificadas no ano de 2018, no período chuvoso, a fim de facilitar o processo, com menos desperdício de energia e a racionalização de recursos. A ideia é que, no próximo período de estiagem, já sejam apresentados resultados prontos para serem apreciados com as famílias.

Outro objetivo é ampliar o projeto, com a adesão de várias escolas das secretarias municipais. “Nois nem todas as prefeituras aderiram a este trabalho. Então, nós queremos ir aumentando (essa participação) a cada ano, a ponto de haver uma real transformação no ensino rural, colocando a educação contextualizada como carro-chefe para educação do campo”, declarou Francisco da Chagas Ribeiro.

Capacitações
Nesta sexta-feira (22), estão sendo encerradas as capacitações de professores das cidades de Massapê e Caldeirão Grande. Já em  Padre Marcos e Pio IX, a finalização dos trabalhos ocorrerá entre os dias 25 e 29 deste mês. Cada formação tem aproximadamente 30 educadores e uma carga horária de 40h.

“A equipe da da SDR e URGP (Unidade Regional de Gestão do Projeto) de Picos tem se esforçado bastante no trabalho de mobilização com as prefeituras e Secretarias de Agricultura, para que as capacitações sejam realizadas com muito sucesso. Estamos concluindo os trabalho das atividades da Educação contextualizada ao final deste mês certos de que houve uma excelente aceitação e aproveitamento de todos os envolvidos, sejam gestores, professores ou alunos. Os resultados vislumbram um novo cenário na educação do município”, avaliou o coordenador da URGP de Picos, José Oliveira.

O supervisor de ensino das escolas estaduais em Simões, Adalberto Carvalho, que participou da capacitação no município, afirmou que a atividade realizada pela SDR e Seduc, com apoio do Fundo Internacional de Desenvolvimento Agrícola (FIDA), é bastante relevante. “O Programa Viva o Semiárido tem duas vias: de financiamento de projetos produtivos e de alocar recursos para trabalhar na área de educação. Os professores são formadores de opinião, profissionais que trabalham com gerações futuras e que devem ter sentimento de pertencimento, de territorialidade, de conhecimento nossas raízes, nossos valores, para preservar este conjunto de culturas, convivendo adequadamente com o semiárido”, declarou.

O secretário do Desenvolvimento Rural, Francisco Limma, comentou que a SDR participa do projeto com o conhecimento técnico especializado vinculando a parte financeira e disponibilizando o PVSA. "A secretaria contribui com a coordenação, que têm a responsabilidade de monitorar o que está sendo tratado desde a sala de aula à prática da família. Observamos se o que se está produzindo, plantando e criando têm relação com o que está sendo discutido na sala de aula, contextualizando e mantendo as mesmas grades curriculares. É importante trazer para a discussão a realidade do semiárido, mas também incluir nesse resultado a melhoria da renda e buscar como consequência a autoestima da família e a contribuição para a fixação do homem e da mulher no campo", finalizou o gestor.

Municípios que participam da capacitação

TERRITÓRIO SAMBITO
Aroazes
Lagoa do Sítio
Inhuma
Barra D'alcantara
Valença
Pimenteiras
Ipiranga
São Félix
Elesbão Veloso
Francinópolis
 
TERRITÓRIO ITAIM
Acauã 
Queimada Nova
Jacobina
Paulistana
Betânia
Curral Novo
 
TERRITÓRIO GUARIBAS
Campo Grande
Fronteiras
Itainópolis
D. Expedito
Picos
Francisco Santos
Marcolândia
Simões
Massapê
Padre marcos 
Caldeirão Grande
Pio IX
 
TERRITÓRIO CANINDÉ
São João da Varjota
Colônia do Piauí
Santa Rosa 
Oeiras/Santo Inácio
Campinas
São Francisco de Assis
Santa Cruz
Conceição do Canindé
 
TERRITÓRIO SERRA DA CAPIVARA
Dom Inocêncio
São Lourenço
Jurema
Coronel José  Dias                                                                
Várzea Branca
Bonfim do Piauí
Anísio de Abreu
Capitão Gervársio de Oliveira

Mais lidas nesse momento