Avião que caiu com Teori não registrou pane ou mau funcionamento, diz FAB

Ministro do STF morreu após acidente aéreo em Paraty (RJ) em janeiro de 2017

A Força Aérea Brasileira (FAB) divulgou nesta segunda-feira (22) um relatório no qual informou que não há registro de pane ou mau funcionamento no sistema do avião que caiu com o ministro Teori Zavascki, do Supremo Tribunal Federal (STF), em janeiro do ano passado.

O ministro do STF Teori Zavascki, que morreu em janeiro de 2017 após acidente aéreo (Foto: Dida Sampaio/Estadão Conteúdo/Arquivo)
O ministro do STF Teori Zavascki, que morreu em janeiro de 2017 após acidente aéreo (Foto: Dida Sampaio/Estadão Conteúdo/Arquivo)

Teori e mais quatro pessoas morrreram no acidente, em Paraty (RJ). Segundo a FAB, o local do acidente tinha "condições restritas de visibilidade" no momento em que a aeronave caiu.

O acidente completou um ano no último dia 19 e, nesta segunda, o Centro de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (Cenipa) da FAB apresentou o relatório sobre as investigações.

O Cenipa não aponta culpado num acidente aéreo. Apresenta fatores que contribuíram para a causa do acidente, de forma a evitar novos desastres aéreos.

Avião em que Teori Zavascki estava e caiu no mar, em Paraty (RJ), em 2017 (Foto: Reprodução/TV Rio Sul)
Avião em que Teori Zavascki estava e caiu no mar, em Paraty (RJ), em 2017 (Foto: Reprodução/TV Rio Sul)

Relembre

Em janeiro de 2017, o avião com o ex-ministro decolou do Campo de Marte, em São Paulo, com destino a Paraty, no Rio de Janeiro.

Chovia forte na hora do pouso, e o piloto chegou a arremeter e tentar pousar novamente, quando a aeronave caiu no mar.

Além de Teori, então relator da Operação Lava Jato no STF, morreram o empresário Carlos Alberto Fernandes Filgueiras, a massoterapeuta Maira Lidiane Panas, a mãe dela – Maria Ilda Panas – e o piloto Osmar Rodrigues.